Siga-nos nas redes sociais:

Patologia adere ao Movimento Médico

Juízes da Medicina, os anatomopatologistas de SP reivindicam adoção da CBHPM A partir desta quarta-feira, 21 de setembro, os médicos anatomopatologistas do Estado de S. Paulo passam a integrar o cronograma de suspensão ao atendimento a planos e operadoras de saúde, coordenado pela Comissão Estadual de Mobilização Médica para a Saúde Suplementar, que é formada pela Associação Paulista de Medicina (APM), Conselho Regional de Medicina do Estado de SP (Cremesp) e Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), entre outros sindicatos e sociedades de especialidade.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Patologia (SBP), o médico anatomopatologista Carlos Renato Almeida Melo, comparado a um consultório médico, um laboratório de patologia movimenta um volume de dinheiro maior a cada mês, e isso faz com que os administradores de planos de saúde fiquem com a ideia de que remuneram bem pelos serviços prestados.

“Clínicos e cirurgiões costumam comparar o que recebem do convênio com o que é pago ao laboratório de patologia e acham que o patologista é melhor remunerado”, relata Melo.

O presidente da SBP revela que a remuneração por um exame de biópsia, em um plano de saúde, como a Unimed, descontados todos os custos operacionais, deve chegar, na melhor das hipóteses e na dependência da singular, a cerca de R$ 20,00 (esses valores são extremamente variados entre as singulares).

Desde o início de setembro, médicos de São Paulo tem seguido um cronograma de paralisação escalonada, por especialidade, em que os atendimentos eletivos aos planos são suspensos em esquema de rodízio, de acordo com a especialidade médica e andamento das negociações com a saúde suplementar, conforme cronograma abaixo: SETEMBRO Planos e operadoras: Ameplan, Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Intermédica, Notredame e Volkswagen. 1 a 3 de setembro – Ginecologia e Obstetrícia 3 a 6 de setembro – Dermatologia 8 a 10 de setembro – Otorrinolaringologia 14 a 16 de setembro – Pediatria 16 a 19 de setembro – Cardiologistas 19 e 20 de setembro – Ortopedia e traumatologia 21 a 23 de setembro – Pneumologia e tisiologia 28 a 30 de setembro – Cirurgia Plástica Anestesiologistas paralisaram o atendimento concomitantemente às especialidades citadas acima. OUTUBRO Planos e operadoras Ameplan, Golden Cross, Green Line, Intermédica, Notre Dame, Prosaúde, Blue Life, Dix Amico, Medial, GEAP, Volkswagen. 04 e 05 de outubro: Angiologia e Cirurgia Vascular 13 e 14 de outubro: Acupuntura 19 e 20 de outubro: Endocrinologia e Metabologia 25 e 26 de outubro: Cirurgia de Cabeça e Pescoço Dados atualizados em 21.09.2011 // Após outubro, o movimento está sujeito à continuidade, até que se chegue num acordo satisfatório. Anestesiologistas paralisarão o atendimento simultâneo às especialidades citadas acima. No mesmo esquema, aderiram ao movimento também os anatomopatologistas O Movimento Médico é formado por Associação Paulista de Medicina (APM), Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP), Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), outros sindicatos do estado, sociedades de especialidades médicas. A mobilização tem como bandeiras a luta contra os planos e operadoras de saúde no que diz respeito ao reajuste dos honorários pagos por consulta; adoção da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM); e fim da ingerência da saúde suplementar nas decisões dos médicos. A iniciativa conta inclusive com o apoio de entidades defensoras do consumidor como o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), a Associação dos Usuários de Planos de Saúde (Aussesp) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O usuário precisa saber que enquanto ele paga mil reais por mês por um plano de saúde, seu médico está recebendo 25 reais por consulta”, afirma Cid Carvalhaes.



Autor
Equipe SBP
Publicado em
2016/07/19
Compartilhe!
Voltar para o blog

assinar a newsletter