Científico

Hepatite não tratada pode desenvolver câncer de fígado

Categoria: Científico Publicado por: admsbp Publicado em: 19/07/2016

Para Sociedade Brasileira de Patologia, Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, datado em 28 de julho, serve como alerta para diagnóstico tardio do vírus

Desde 2004, a Organização Mundial de Saúde (OMS) celebra a data 28 de julho como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. A partir disso o Brasil realiza várias ações integradas de prevenção e controle nos níveis de gestão SUS para o enfrentamento das hepatites virais. Para a Sociedade Brasileira de Patologia, a principal preocupação com a Hepatite é o desenvolvimento de cirrose hepática e do câncer de fígado.

“As duas grandes causas de cirrose e de câncer de fígado em todo o mundo atual são infecções virais como hepatites C e B ou as doenças gordurosas do fígado, sejam elas decorrentes de etilismo ou de distúrbios metabólicos associados à obesidade e/ou a diabete”, comenta o médico professor Venâncio Avancini Ferreira Alves, membro da Sociedade Brasileira de Patologia e Professor Titular do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer de fígado é um dos mais comuns entre homens com 7,5% do total de casos entre o sexo masculino. É também um dos que mais matam, devido ao diagnóstico tardio ou dificuldade no tratamento.

A prevenção da hepatite é uma medida valiosa na prevenção deste tipo de câncer. No caso da hepatite B, já há vacina disponível. Na hepatite C ainda não há vacinação, mas há medidas preventivas eficientes à triagem realizada nos Bancos de Sangue e Derivados, reduzindo a níveis mínimos a transmissão por transfusões.

Atualmente, a principal causa de transmissão parenteral é a partilha de agulhas por usuários de drogas injetáveis, não sendo frequente relativamente a transmissão em relações sexuais. Nos casos de hepatites crônicas já instaladas, o tratamento antiviral ao eliminar os vírus e reduzir a evolução do dano arquitetural para cirrose é a medida mais importante para a prevenção de possível surgimento do carcinoma de fígado.

Tanto nas causas virais como nas demais doenças crônicas do fígado, ao ser constatada a cirrose, é fundamental a prevenção e tratamento das complicações próprias da cirrose, como o desenvolvimento de varizes venosas, ascite e insuficiência hepática, causadoras de muitas mortes. Além destes cuidados e do tratamento eficiente da doença original, a grande esperança reside na vigilância para detecção precoce do câncer do fígado, já efetuada em alguns dos principais centros especializados, com avaliação clínica e ultrassonografia repetida a cada seis meses. Grande esforço precisa ser feito para que estas medidas sejam estendidas para toda a comunidade de pacientes infectados pelos vírus das hepatites.

Compartilhe FACEBOOK WHATSAPP EMAIL

Veja também

Científico

 “Starting this year (2021) AMP (Association for Molecular Pathology)”

20 de setembro de 2021 - Científico
Científico

Divulgação para todos os patologistas do Brasil

1 de setembro de 2021 - Científico
Notícias

AMB – Carta aos Médicos: Projeto de lei que altera a legislação do Imposto de Renda

3 de agosto de 2021 - Notícias
Científico

Jornada de Patologia no Next Frontiers to Cure Cancer – 25 e 26 de junho de 2021

22 de junho de 2021 - Científico
Ver todas as matérias
Voltar ao topo