Siga-nos nas redes sociais:

FAQ

Qual o tempo mínimo exigido para a guarda de material biológico (lâminas, blocos histológicos) nos arquivos de um laboratório de patologia?

  • O tempo mínimo de arquivo de material biológico é de: 10 anos para blocos de parafina e citologias cervicovaginal positivas.
  • 5 anos para lâminas (biópsias/peças cirúrgicas/imuno-histoquímica e citologia)
  • 5 anos para lâminas de citologia cervicovaginal negativas (podendo guardar apenas a última citologia da paciente e descartar as demais).

Por quanto tempo se deve manter cópia de pedidos e laudos?

Após o envio do laudo impresso para o paciente/clínica/hospital em que o paciente é atendido, não há mais obrigação de reter cópia impressa, entretanto a cópia virtual/digital deve ser arquivada de forma permanente

Por quanto tempo se deve guardar pedidos médicos?

Se não há digitalização de documentos os pedidos devem ser guardados por vinte (20) anos.

Havendo digitalização de documentos, com nível de segurança nível 2 os documentos podem ser descartados imediatamente após seu uso. Entretanto recomendamos que sejam guardados por 5 anos.

Por quanto tempo devem ser guardadas peças cirúrgicas?

O tempo mínimo de guarda é de três meses.

Peças cirúrgicas de amputação devem ter Declaração de óbito e serem enterradas?

Não. São peças cirúrgicas como as outras e devem ser tratadas da mesma maneira.

Tubetes para transporte de citologia podem ser reutilizados?

Sim, são de material resistente a lavagem e reuso, sem prejuízo para o material neles contido.

Fetos tem que ter declaração de óbito?

Fetos com menos de 20 semanas de gestação, menos que 25cm de estatura e menos do que 500g de peso não devem ter D.O. preenchidas, apenas se um dos quesitos acima for satisfeito é obrigatório o preenchimento da D.O.

Para mais detalhes e informações veja os documentos abaixo

Ética, normas, direitos e deveres do médico patologista

Clique aqui

Manual de parcerias de laboratórios de patologia

Clique aqui

A lei e a ética das parcerias de laboratórios de patologia

Clique aqui

Programa de Controle de qualidade e Acreditação da SBP

Clique aqui

Resolução CFM 2074/2014 

Clique aqui

Resolução CFM nº 1821/2007

Clique aqui

Cartilha para prontuário eletrônico

Clique aqui

Parecer CFM 27/94

Clique aqui

Manual de preenchimento de D.O.

Clique aqui

RDC 50/2002 – ANVISA (quesitos físicos, arquitetônicos e estruturais mínimos de serviços de saúde)

Clique aqui

RDC 302/2005 – ANVISA (quesitos mínimos de funcionamento e controle de qualidade de um laboratório clínico)

Clique aqui

assinar a newsletter