Siga-nos nas redes sociais:

Câncer boca e garganta – o que devo saber?

O câncer de boca e garganta, infelizmente, ainda é muito comum no Brasil, sendo que os pacientes costumam procurar atendimento médico quando o tumor encontra-se bastante avançado, o que diminui as chances de tratamento mais eficaz. Desta forma, é de fundamental importância procurar a ajuda médica, para que seja feito o diagnóstico o quanto antes e para que se tenha maior sucesso no tratamento. O melhor caminho é procurar orientação médica, se qualquer um dos sintomas abaixo persistir por mais de 2 semanas, na boca e/ou garganta:

  • Dificuldade para mastigar ou engolir líquidos ou alimentos
  • Dificuldade para mover a língua
  • Ferida que não cicatriza
  • Dor que não passa
  • Área avermelhada ou esbranquiçada
  • Irritação ou sensação de que alguma coisa está presa ou entalada na garganta
  • Perda de peso
  • Mau hálito que não passa
  • Dormência
  • Mudanças na voz
  • Nódulos ou ínguas duras aumentados no pescoço

O câncer de boca e garganta acontece mais em pessoas fumantes do que nas não fumantes, sendo que o risco aumenta muito quando a pessoa fuma por muitos anos. O tabaco (cigarro, cachimbo, charuto e fumo mascado) é a principal causa de câncer de boca e garganta, porém a chance de surgir um câncer em pessoas que fumam e ingerem bebidas alcoólicas é ainda maior (chamado efeito sinérgico), isto é, os efeitos cancerígenos decorrentes das bebidas alcoólicas e do fumo se somam.

É muito importante orientar, o quanto antes, os jovens que fumam ou aqueles que fumam e também ingerem bebidas alcoólicas, quanto ao risco aumentado de câncer de boca e garganta (e, também em outros locais do corpo), incentivando-os a abandonar estes hábitos tão perigosos para a saúde.

· É fundamental não fumar ao lado de pessoas não fumantes, pois elas se tornarão fumantes passivas e também correrão maior risco desenvolver o câncer de boca e garganta, assim como em outros locais do corpo!

Também, é muito importante procurar o médico se algum dos sintomas acima persistir por mais de 2 semanas. Havendo suspeita de câncer, o médico fará um encaminhamento para um cirurgião de cabeça e pescoço, o qual fará o exame clínico e solicitará exames para avaliação. O paciente não deverá ter medo ou vergonha e jamais deverá demorar a procurar o atendimento médico, pois o atraso no diagnóstico diminuirá as chances de tratamento eficaz!

Dra. Icléia Siqueira Barreto- médica patologista assistente do Departamento de Patologia- Escola Paulista de Medicina- EPM-UNIFESP



Autor
Equipe SBP
Publicado em
2016/07/19
Compartilhe!
Voltar para o blog

assinar a newsletter